Musa do ballet fitness

Em uma entrevista superdescontraída, essa bailari...

“Há males que vêm para bem.” Esse, sem dúvida, é um ditado popular muito comum, do qual insistimos em duvidar, porém, passados alguns anos, quando analisamos os fatos ocorridos, podemos sinceramente concluir que, com certeza, ele não falha. E a história de Betina Dantas é a ilustração perfeita disso! A bailarina profissional se machucou aos 14 anos de idade e transformou esse fato negativo em uma história incrível e bem sucedida, de muito sucesso. De lá para cá, são 23 anos de estrada, a criação de um método exclusivamente brasileiro e mais de 15 estúdios licenciados no Brasil, sem contar os convites internacionais.

 

Curiosidade sobre Betina

1)    Qual é a sua formação?
Sou formada em psicologia, em educação física e no ballet, sendo que minha formação foi toda pela Royal Academy of Dancing, de Londres.

 

2)    Idade?
Tenho 37 anos, com muito orgulho!

 

3)    Você pode nos contar qual é a sua altura, peso e % de gordura?
Eu tenho 1,66 de altura e não costumo me pesar, mas sempre estou entre 53kg e 55kg. Há muitos anos que não analiso o percentual de gordura, mas devo ter uns 15%. Mas não sou ligada a isso.

 

4)    Você conquistou seu corpo apenas com o ballet fitness?
Sim. Hoje, eu só faço a minha aula três vezes por semana e mais nada, que no caso é uma mistura de ballet e ginástica.

 

Ballet fitness

1)    O que é e no que consiste esse método?

O ballet fitness é uma aula que mistura os exercícios básicos do ballet clássico e os exercícios fitness relacionados à educação física, que eu sempre gostei muito. É para qualquer mulher conseguir fazer, por isso que o sucesso está muito grande. A aula consiste em um circuito intenso com uma hora de duração, e os passos mais básicos do ballet são otimizados com o aumento da frequência de repetições. É uma aula superanimada, com alongamento na barra, abdominais, flexões de braço e agachamento. Esse é o resultado de dez anos de estruturação dessa metodologia, que trabalha a musculatura como um todo e ainda deixa o corpo longilíneo, alongado e delicado.

2)    Cite os principais exercícios da aula?
Os principais exercícios do ballet são: o plié, tendu, grand plié, passê, elevé, grand battement, develop etc., mas todos eles sem intenção de altura de perna. Do fitness são abdominal, agachamento e flexão de braço.

 

3)    As aulas contam com o uso de algum tipo de equipamento?
Não, apenas o peso do corpo; essa é a grande diferença do meu método em relação aos demais. Quando criei o ballet fitness, eu desenvolvi a aula para mim e não para as pessoas e, particularmente, nunca gostei do uso de equipamentos. Eu não tenho muita paciência e acho que o deslocamento para pegar o instrumento e encaixar no corpo acaba sendo perdido.

 

4)    Como o ballet fitness surgiu?
Eu tive uma lesão no tornozelo e, no dia da apresentação, não havia ninguém para me substituir, então, subi no palco e dancei. Por conta disso, a lesão foi se tornando crônica e eu não pude mais subir em uma sapatilha de ponta. Eu tinha apenas 14 anos e, nessa época, dançar ballet profissional sem ponta era algo que não existia. Então, resolvi dançar jazz; entrei em uma academia profissional e dancei por um tempo, mas meu pé também não aguentava muito e meu corpo já estava perdendo as características que o ballet proporcionava, estava meio flácido e eu sempre achei o corpo das bailarinas os mais bonitos, então, comecei a criar exercícios para mim. Nessa época, eu trabalhava na Body Tech de Goiânia e dava aulas no infantil; as mães ficavam sentadas durante uma hora, vendo as filhas dançar, e não gostavam de musculação. Assim, começaram a pedir para fazer minha aula e a Body Tech colocou o ballet fitness na grade, isso há dez anos. A Body Tech expandiu sua franquia e eu, junto da minha aula, fui para São Paulo há seis anos. Após isso, fui para a academia Anacã Corpo e Movimento e, hoje, estou com meu próprio estúdio.  

 

5)    A que você atribui esse sucesso repentino e a popularização dessa prática?
O ballet fitness ficou muito conhecido em outubro do ano passado - já vai fazer quase um ano - por conta do post que a Gabriella Pugliese fez no blog dela. E isso é maravilhoso, porque na época as pessoas achavam que isso era modinha de Verão, modinha de blogueiras, e não é!

 

6)    Esse método só existe no Brasil?
Sim. É tipicamente brasileiro e pela primeira vez gerou um movimento contrário, no qual o método está saindo daqui e conquistando o exterior. Já estamos com aulas em Nova Iorque e com convite de expansão para Viena, Paris e Londres.  


7)    Qual é o público que o ballet fitness atrai?

Há pessoas de todas as idades, a partir dos 15 anos, que é a idade mínima exigida. Mas agora estamos tendo muita procura de meninas abaixo dos 15 anos, e como a estrutura muscular delas ainda não está pronta, estou desenvolvendo o ballet fitness teen. O intuito é resgatá-las das paqueras de academias, retomando o interesse pelo ballet e fazendo com que fiquem ligadas à arte, permitindo um corpo delicado e feminino. Fora isso, tenho alunas de mais de 60 anos. Minha mãe é um exemplo disso, ela tem 75 anos e faz minha aula três vezes por semana.   

 

8)    Existem homens praticando?
Sim. Eu treinei uma equipe de professores que trabalham comigo, aqui em São Paulo. O meu primeiro máster, e o melhor de todos, é homem. E os homens que fazem a aula notam uma melhora muito 

grande no alongamento.


9)    Qual é o custo das aulas?
Eu não sei o valor exato, mas varia entre R$ 400 e R$ 600.

 

10)    Qual é o tempo de duração das aulas, a quantidade de alunos por turma e a frequência semanal?
As aulas na academia têm uma hora de duração e são liberados 12 alunos por turma. Com relação à frequência, aquelas que estão em fase de ‘projeto Verão’ devem fazer aulas, pelos menos, três vezes por semana. Aquelas que já estão com um corpo bonito e desejam mantê-lo, podem fazer apenas duas vezes por semana.


11)    Existem pré-requisitos para iniciar a aula?
Não, porque a aula de iniciante é para quem nunca fez. Qualquer pessoa pode fazer as aulas tranquilamente. Mas verificamos as lesões. Muitas pessoas chegam com lesões nos joelhos e problemas na lombar, então, o professor não permite a prática de determinados exercícios. Há também uma equipe de médicos do esporte que estão comigo e que fazem as avaliações físicas e a parte de nutrologia para aqueles que desejam uma perda de peso mais intensa. Temos um respaldo muito bom no Studio.   

 

12)    Quais são os benefícios proporcionados pelo ballet fitness?

A aula trás resultados surpreendentes. A mistura de aeróbio com anaeróbio proporciona força e ao mesmo tempo leveza e graça, resultados que pouquíssimas modalidades conseguem. E os exercícios cardiovasculares ocasionam a queima de calorias e a perda de peso. O corpo fica esculpido, tonificado, elegante e flexível.

 

13)    Em quanto tempo já se pode notar um resultado?

Em um mês de aula você já sente seu abdômen mais rígido. Com dois meses, cuidando da alimentação, a diferença é bárbara.

 

14)    O ballet fitness substitui a musculação e outros exercícios físicos?
Com certeza. A aula é 100% completa e a pessoa não tem necessidade de fazer musculação, porque malha o corpo inteiro, mas também, alonga, então não cria os músculos truncados da musculação. Mas há muitos alunos que não largam a aula de bike, o pilates, a caminhada entre outras atividades. A única coisa que eu peço é que, no dia da aula, evitem fazer outra atividade física, porque a perna não aguenta. É o crossfit do ballet!

15)    O que os alunos buscam quando se matriculam nas aulas?
A maior procura é das pessoas que nunca fizeram ballet e sempre tiveram essa vontade. Outro público que também é maioria são as ex-bailarinas que tiveram que interromper a carreira e agora podem fazer essa aula e malhar ao mesmo tempo. E, também, as bailarinas profissionais nas aulas que estou desenvolvendo com várias companhias aqui em São Paulo: fortalecimento muscular para bailarinas profissionais. Esta é uma aula que previne as lesões.  

 

Sobre seu Studio

1)    Em que cidade é a sede de sua academia e como ela se chama?
A sede fica em São Paulo, no Itaim, e o nome é Studio BeFit.

 

2)    Como tem sido a difusão do ballet fitness e quais são seus planos de expansão?
Já estou com 15 licenciados só no Rio de Janeiro e, ainda, licenciados em Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Brasília, Porto Alegre, Curitiba e Goiânia.

 

3)    Como funciona a capacitação dos professores?
Todos os meus másteres são formados em ballet e educação física; eu não licencio professores, eu licencio a escola ou a academia, porque o ballet é muito artístico e para aprender e ensinar essa modalidade levam-se anos, pois é uma prática muito delicada e rebuscada.

 

4)    O ballet fitness virá para o interior?
Sim, nós estamos tentando organizar essa expansão para 2015.

 

5)    O ballet fitness vai compor as aulas das academias?
Com certeza! Eu trenei em torno de 40 professores para a Body Tech, que vai expandir as aulas em mais de 20 unidades. Mas essa é uma academia que ensina ballet, então os professores já têm a formação exigida. Mas, por exemplo, em fortaleza nós recrutamos uma bailarina para dar as aulas.

 

Vida de empresária

6)    Você sempre desejou empreender?

Eu nunca tive a intenção de ter a minha própria escola. O Studio surgiu a partir de uma procura muito grande. Faltava tempo para dar aulas e o negócio estava muito limitado, então, a criação da minha própria escola foi uma alternativa para que todas as pessoas pudessem ter acesso ao ballet fitness. Tudo foi dando certo e eu entrei na onda do negócio próprio sem perceber, mas estou gostando muito. Descobri uma nova maneira de viver.

7)    Quais são seus projetos para o futuro?
Eu estou com o projeto de ser mãe e de difundir o ballet fitness tanto no Brasil, como no exterior.


8)    Você se sente realizada?
Sim, muito realizada e muito feliz. Como me machuquei, achei que a minha carreira na dança seria curta, porém, hoje, vejo que um machucado, que é algo muito negativo, aconteceu para um bem muito especial na minha vida. Foi uma lesão que me trouxe o futuro que eu jamais poderia ter esperado.

 

Dicas da Betina

Onde nossas leitoras podem encontrar roupas lindas para praticar o ballet fitness?

Eu sou embaixadora da Retetto, uma marca francesa, considerada a melhor do mundo para roupas de ballet. Além disso, desenvolvi modelos para a 2Peace. Então, indico essas duas marcas.

Quais são as peças essenciais para começar a praticar essa modalidade?

Eu acho importante colocar um collant, porque ele proporciona outra postura, meia-calça e sapatilha.

Qual o seu conselho para quem vai iniciar o ballet fitness?

Ter muita paciência, porque, às vezes, demora um pouco para decorar o exercício. E fazer pelo menos três ou quatro aulas, porque depois os exercícios deslancham.

 



Sobre o autor: Editora Luxor

Editora Luxor

Redação Editora Luxor